sexta-feira, 3 de junho de 2011

Igreja Católica x Redes Sociais, contra ou a favor?




No último dia 24 de Janeiro, o Papa Bento XVI escreveu uma mensagem por ocasião do Dia Mundial das Comunicações. Com o humanismo e a sabedoria que lhe são próprias, exalta as mudanças ocasionadas pelas comunicações na cultura atual. Mais que uma forma de comunicação "podemos afirmar que estamos perante uma ampla mudança cultural", afirma o Papa.

Preocupado com esta mudança e percebendo que o ser humano tem nas mãos uma excelente oportunidade para abrir-se a novos horizontes, o Santo Padre afirma que "as novas tecnologias da comunicação pedem para ser postas ao serviço do bem integral da pessoa e da humanidade inteira. Usadas sabiamente, podem contribuir para satisfazer o desejo de sentido, verdade e unidade que permanece a aspiração mais profunda do ser humano."

Sabemos da grande influência que a internet e as redes sociais exercem sobre o homem de hoje. Diante disso, Bento XVI alerta a cada um para os excessos que devem ser evitados, como "refugiar-se numa espécie de mundo paralelo ou expor-se excessivamente ao mundo virtual" e não cedermos "à ilusão de construir artificialmente o próprio “perfil” público".



Como Católicos que somos, devemos anunciar com autenticidade o ideal cristão de felicidade, nos questionando quem é o nosso próximo no âmbito virtual e como podemos contribuir para que este espaço não seja um refúgio do mundo real, das verdadeiras relações humanas e sim uma ponte para que cada pessoa encontre o sentido e a realização plena da vida.

Aos homens e em especial, aos jovens, o Papa Bento XVI convida a estarem presentes nas redes sociais de maneira "honesta e aberta, responsável e respeitadora do outro". Pois compreende que "Comunicar o Evangelho através das novas mídias significa não só inserir conteúdos declaradamente religiosos nas plataformas dos diversos meios, mas também testemunhar com coerência, no próprio perfil digital e no modo de comunicar, escolhas, preferências, juízos que sejam profundamente coerentes com o Evangelho, mesmo quando não se fala explicitamente dele".

Precisamos estar cada vez mais conscientes de que a web é o novo areópago e assim firmarmos nossa presença neste local. Ao mesmo tempo, devemos compreender que, ao entrarmos no mundo virtual temos uma missão muito clara: levar a este mundo o Cristo vivo e real, para que as relações humanas sejam cada vez mais baseadas nos valores do Evangelho. Então, mãos à obra!

Leia na íntegra a mensagem de Bento XVI, vale a pena: http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/messages/communications/documents/hf_ben-xvi_mes_20110124_45th-world-communications-day_po.html

3 comentários:

Diogo Rocha disse...

Acredito que não existe espaço e lugar para um cristão ser cristão. A internet hoje não é uma simples ferramenta, ela é um "continente", como nos diz o Bento XVI "o continente digital. Se temos medo de SER cristãos no continente digital, certamente também temos medo de ser cristão em outros locais .

Diogo Rocha disse...

Acredito que não existe espaço e lugar para um cristão ser cristão. A internet hoje não é uma simples ferramenta, ela é um "continente", como nos diz o Bento XVI "o continente digital. Se temos medo de SER cristãos no continente digital, certamente também temos medo de ser cristão em outros locais .

Escola Odete Sampaio de Azevedo. disse...

As pessoas buscam nas Redes Sociais um canal de comunicação, um modo de expressarem suas verdades,assim como nós senhor autor; logo não podemos ignorar, mas orientar sobre a melhor forma de fazer bom uso delas.